Entendendo a depressão: quando é preciso buscar ajuda profissional


É provável que você já tenha vivido algum dia em que tudo tenha parecido mais cinza, mais triste e mais silencioso. Sentir tristeza é uma emoção natural do ser humano e, quando isso acontece, a vida parece ser mais difícil.

Contudo, a tristeza pode ser uma situação passageira, sendo muitas vezes consequência de um fator adverso da vida, como a perda de alguém próximo, e que depois de alguns dias, tudo volta ao normal. No entanto, um quadro de humor deprimido persistente não deve ser confundido com sentimento de alguma tristeza que passa com o tempo e não impede a pessoa de ter uma vida normal.

Compreendendo a depressão

A depressão tem grande impacto tanto na vida da pessoa quanto de seus amigos e familiares, sendo capaz de acarretar na diminuição da qualidade de vida. O transtorno depressivo pode afetar o humor, qualidade do sono, disposição, atenção, concentração, entre outras manifestações físicas e psicológicas do transtorno. Por isso, é muito comum uma pessoa que vivencia um quadro depressivo sentir emoções desconfortáveis como incompreensão, solidão e fragilidade emocional. Quando isso começa a acontecer é importante buscar entender o que está passando, e, principalmente não ignorar os sintomas.

Em um quadro depressivo, a pessoa pode vir a sentir que é incapaz de realizar atividades com sua família, amigos, no ambiente de trabalho e outros círculos sociais. A ideia de que o mundo é melhor sem ela é uma realidade alterada que a depressão pode criar. As coisas, lugares e pessoas perdem a sua ‘beleza’ e o sentimento de desesperança pode predominar.

Buscando a ajuda profissional

Ainda existem muitos mitos e informações falsas sobre depressão. Pode haver um certo descaso com aqueles que manifestam o que está acontecendo e o que está se passando na sua cabeça. Este preconceito dificulta a identificação e diagnóstico do transtorno, e por consequência, a demora no início do tratamento, justamente pelo sentimento de vergonha do que pode estar acontecendo.

No entanto, é exatamente isso que não deve acontecer. Para enfrentar a depressão, na maior parte das vezes, é fundamental buscar a ajuda profissional para lidar com o problema e ter uma melhora significativa. O tratamento psicológico auxilia na elaboração de estratégias para lidar com a adversidade de modo construtivo, essencial no tratamento da depressão. Quanto maior a adesão ao tratamento, maior será a probabilidade de reduzir a frequência e intensidade dos sintomas.

Apoio familiar

O trabalho do profissional tem ainda mais impacto se puder contar com o apoio da família e amigos. É fundamental que haja um estímulo, por parte de todos, para que a pessoa volte a fazer e participar de todas aquelas atividades que lhe davam prazer.

Como a energia, a motivação e o prazer diminuem drasticamente nas pessoas com depressão, é muito importante, que todos participem como agentes ativos nesta recuperação. Familiares e amigos não devem invalidar ou tentar discutir o que está passando com a pessoa, ou ainda, assumir o seu papel. Mas, sim serem o apoio neste momento complexo.

Tratamento para a depressão

Vencer a depressão é um processo que requer dedicação e cuidado em cada etapa. Dentre as possibilidades, a Terapia Cognitivo-comportamental permite a compreensão de cada uma destas etapas e tem fortes evidências científicas da sua eficácia no tratamento dos transtornos depressivos.

 

Referências Bibliográficas:

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BAPTISTA, M. N.; CARDOSO, H. F.; IRIGARAY, T.Q. Avaliação em sintomatologia depressiva. In: BAPTISTA, Makilim Nunes (Org) et al. Compêndio de Avaliação Psicológica. Petrópolis: Vozes, 2019. cap. 57, p. 670-680.

BARLOW, D. H.; DURAND, V. M. Transtornos do humor e Suicídio. In:__ (orgs.). Psicopatologia: uma abordagem integrada. São Paulo: Cengage Learnig, 2018. cap. 7, p. 216-271.

CAMARGO, J.; ANDRETTA, I. Terapia Cognitivo-Comportamental para depressão: um caso clínico. Contextos Clínicos, São Leopoldo, v.6, n.1, p.25-32, jun. 2013. Disponível em: Link.

DA COSTA, R. T. Depressão. In: CARVALHO M. R.; MALAGRIS, L. E. N.; RANGE, B. P. Psicoeducação em Terapia Cognitivo-Comportamental. Novo Hamburgo: Sinopsys, 2019. cap. 8, p. 110-121.

Compartilhe este post
Podemos ajudar?